quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

T de Tempo Sem Tempo (VI)

Na verdade, nada do que é importante e acontece e me faz vivo, tem a ver com o tempo. O encontro com um ser amado, uma carícia na pele, a ajuda no momento crítico, a voz solta de uma criança, o frio gume da beleza - nada disso tem horas nem minutos. Tudo se passa como se não houvesse tempo. Que importa se a beleza é minha durante um segundo ou por cem anos? A felicidade não se situa só à margem do tempo, como nega toda a relação deste com a vida.

Stig Dagerman, A  Nossa Necessidade de Consolo é Impossível de Satisfazer,
Lisboa: Fenda,  1989

[Releitura obrigatória de Natal]

1 comentário:

Anónimo disse...

Adoro este livro.
Beijo,
MM