sábado, 30 de julho de 2016

S de "Sei de um rio" (II)


MENINA CALÇANDO A MEIA
[Estufa Fria, 1966]


Não te mexas.

O futuro é perder o equilíbrio,
cair até bater no fundo
de uma insónia hora a hora
interrompida para respirar
à superfície da luz.

Não te mexas, ainda.

Não hesites, não assustes o sonho
pousado em teia sobre ti,
não agites as águas.
E talvez a vida se deixe
ficar à margem
com os seus dias armados de pedras.


Inês Dias, Da Capo,
Lisboa: Averno, 2014





[ID, 'Sei de um rio', Julho de 2016]

Sem comentários: