quinta-feira, 20 de outubro de 2016

O de "O poema ensina a cair" (II)


VERSOS DE CIRCUNSTÂNCIA


eu não entendia
e ela se mexia tanto ao meu lado
e aqueles bancos apertados
o ar condicionado gelando
tudo (os brincos dela,
o meu humor)
mais de uma hora cruzando
ruas, avenidas, parágrafos – 
o livro gritando alto
para um mundo ensurdecido
depois de arrumar-se mais
algumas dezenas de vezes
o sol já estava no meio do céu
quando ela se levantou
foi então que percebi que
três pequenos pássaros
voavam em suas costas


- FABIANO CALIXTO





[ID, Lisboa |  2012]

3 comentários:

Guida disse...

Tens de me dizer onde é! É uma delícia!

ID disse...

Já passei sobre ele centenas de vezes, mas também só o vi este fim-de-semana :)
Bj

Odracir disse...

Tu própria és um poema… que muito me ensina.